O fazer sem pensar, sem querer…

O dia pede o escrever, o algo novo, inspiração.

As conversas, o café e o desespero exigem a tinta no papel, ou as letras digitadas no computador.

Mas haverá sentido fazê-lo sem aquele real desejo, sem aquele arrepio e força das palavras que vem?

Não que o fazer sentido seja necessário… Geralmente tudo isso é sem sentido, de fato.

Mas pode de alguma forma fazer bem. Pode de alguma forma tocar alguém…

E o esperar que isso se faça já é um impulso, incentivo.

E por fim, feito, está feito, e sem razão, apenas paira, como nuvens sem rumo, na imensidão do céu…Nuvens

Anúncios

Um comentário em “O fazer sem pensar, sem querer…

  1. De certa forma os anseios estarão sempre presente, afinal ‎”A vida é uma eterna ida.” A intensidade de como as coisas pode ser sentida está intimamente ligada à sobreposição do desenrolar dos fatos, ou de como os mesmos podem ser indagados diferentemente a partir de cada essência, resguardo, ou do que se sente, de fato. Olhar para o céu e buscar refúgio, indagar o que será do dia, quais as formas pelas quais seremos atingidos, da incerteza do que vem pela frente, da vivência do que se interpelam as ocasionalidades é o próximo cauteloso passo a ser dado, ou simplesmente seguir sem parâmetros, apenas guiado pelo que se pode sentir. Onde cada passo dado reflete o que seremos amanhã e constrói nossa historia.

    Curtir

Comente!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s