A metáfora do cabelo – Por Névelyn Silva

Imagem do Google

Tirar aquelas pontinhas do cabelo pode ser um pesadelo para nós mulheres e claro que comigo não seria diferente, já me peguei falando mal de muita cabeleireira por não respeitar os exatos dois dedinhos de comprimento que eu havia pedido. Já cheguei em casa chorando por causa de cabelo sim, afinal quem nunca?

Quem me conhece há bastante tempo sabe que fui uma adolescente com “A” maiúsculo, com direito a trocar a cor do cabelo a cada 3 semanas. Posso dizer que a minha busca por identidade foi bem movimentada. Hoje olho as fotos e, ao contrário do que muitos pensam, não me arrependo. Claro que não aconselho ninguém a usar tanta oxigenada e tinta em tão pouco tempo, já que obviamente se você não cuidar ele vai ficar danificado.

Fazendo um comparativo entre o meu ontem e o meu hoje é nítido como os anos me fizeram se apegar àquilo que nem é tão importante assim pra mim, em todos os aspectos da minha vida. Afinal, em que momento eu comecei a me importar com os 2 ou 3 dedinhos do meu cabelo se costumam dizer que se estão fracos não vão me fazer falta, pelo contrário, darão lugar a fios melhores. Então por que eu continuo dramatizando a perda de algo que precisa ser perdido? Comodismo talvez?

Quando coloquei meu pézinho em 2015 eu DECIDI ao invés de planejar. Decidi que ia enfrentar tudo àquilo que tinha medo, comecei pedindo demissão de um emprego estável, mas que não me fazia feliz. Depois fui atrás de extrair os meus sisos superando o meu pânico de dentista de vez, passei a ficar mais tempo em casa sozinha, coisa que pode parecer bobagem pra muita gente, mas que pra mim era um monstro de 10 cabeças. Matriculei-me num curso de Arte Dramática e já consigo falar em público sem achar que vou cair dura na frente de todo mundo e, sem mais nem menos, cheguei ao salão semana passada e pedi: corta curtinho. A profissional que cuida do meu cabelo ficou tão surpresa que me perguntou seis vezes se era isso mesmo que eu queria. E era.

Lá estava eu, DECIDIDA, sentada naquela cadeira de costas para o espelho e arrancando todo aquele pedaço de cabelo que eu tanto destruí ao longo desses anos com um milhão de químicas, secadores e derivados, mas que mesmo assim não conseguia desapegar. Mandei tudo embora e risquei mais uma linha da minha lista. Ainda resta um medo, que por enquanto está guardado com Deus e com alguns amigos próximos. Não que eu seja supersticiosa ou coisa parecida, mas é que prefiro testemunhar primeiro às coisas que já deram certo na minha vida.

Não sei o tipo de coisa que você conserva em seu coração, mesmo sabendo que aquilo só ocupa espaço e nada soma pra sua felicidade e, também, não quero deixar nenhuma receita de bolo, já que ela pode desandar se você seguir a risca o que não está de acordo com a sua necessidade e seu contexto. Porém sei que todo mundo tem medo e que eles vão estar sempre conosco, mas a sua maneira de encará-los pode ser o segredo para alcançar os seus sonhos.

Peço desculpas se engoli alguma pontuação ou me perdi no meio do texto, o objetivo aqui é tocar um lugar que se esconde muito além da consciência humana.

Névelyn Silva

Só pra contextualizar, a Névelyn é minha amiga há quase 10 anos e quando vi esse texto em sua página do Facebook simplesmente amei e quis compartilhar por aqui, que é meu cantinho querido que abriga coisas boas. E essa história é boa em tantos aspectos que pre-ci-sa-va estar aqui.

Néh, sua linda, obrigada por me permitir compartilhar e por nos proporcionar uma belíssima reflexão, sobre cabelos, sobre conquistas, sobre medos, enfim, sobre as coisas da vida! Amo você!

Anúncios

5 comentários em “A metáfora do cabelo – Por Névelyn Silva

  1. Aiiii, adorei. Tem um negócio que diz que quando a gente muda por fora, é porque por dentro já mudou a muito tempo. E gosto de pensar assim. Quanto mais desapegarmos de coisas supérfluas, mais perto da felicidade ficaremos :] Beijão pra ti e pra tua amiga, Oli!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Faz sentido isso. com certeza! Mudar por fora acaba sendo reflexo de mudanças internas!
      E desapegar é realmente necessário no processo ;)
      Beijão!!!

      Curtido por 1 pessoa

Comente!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s