Harmonia Mandalas

Quem me conhece um pouquinho já sabe que sou apaixonada por mandalas, inclusive o símbolo do blog já evidencia isso. Há um bom tempo venho pensando em criar uma página no Facebook para divulgar minhas mandalas e facilitar o contato com quem tenha interesse em adquirir uma. Por isso essa semana criei a página da Harmonia Mandalas!

PAGE
Clique na imagem pra ir pra página!

Esse nome já estava na minha cabeça há tempos e já tinha até uma pastinha no pc com esse título, onde eu reunia fotos das minhas mandalas pra quando enfim criasse a página. Bem, chegou o momento e tô muito feliz!

Adoraria ter vocês lá na página, e se curtirem meu trabalho, convidem os amigos também! Além das mandalas de lã (ojos de dios) pretendo mostrar outros trabalhos com mandalas, ou seja, não será um espaço só pra venda, mas para apresentar as mandalas, conhecer pessoas, trocar figurinhas… hehehe!

Nos vemos por lá! Beijos!

 

 

Anúncios

Oficina de Aquarela

Nesse fim de semana participei de uma oficina de aquarela no Sesc Thermas, aqui em Presidente Prudente. Foram duas manhãs com o ilustrador Nestor Jr. aprendendo algumas técnicas bem interessantes!

Eu tenho contato com aquarela já faz um tempo, mas sempre foi uma coisa de brincar com as cores e formas, sem compromisso. Em geral eu fazia desenhos abstratos e, claro, mandalas.

Mas essa oficina foi uma oportunidade de aprender um pouco mais algumas formas de “controlar” a tinta. Na aquarela isso é bem difícil, pois em geral tudo se espalha rapidamente. Mas vi que é possível fazer algumas coisas saírem como queremos – ou quase… rsrs!

Acho que o que mais gostei de aprender foi a parte do degradê. Fizemos alguns exercícios e no fim acho que consegui pegar o jeito!

aquarela3
Degradê 
aquarela4
Degradê em esferas

Outra coisa que achei bem legal foi fazer detalhes com água sobre a tinta e depois remover com papel toalha, deixando assim umas marquinhas bacanas.

aquarela1
Os “passarinhos” fiz usando remoção com água, e as ondas com tinta e pincel fininho.

Tivemos também um exercício que pra mim foi o mais difícil: desenhar um “objeto”. Na verdade eram folhas, flores e galhos que deveríamos tentar reproduzir. Logo de cara já fiquei preocupada com a proposta, pois não é algo que costumo fazer e não me sinto a vontade… Mas como estava lá pra me divertir, botei a mão na massa no pincel. Primeiro fizemos da forma que veio na cabeça e depois contamos com algumas dicas do Nestor. Eis o meu resultado:

collagefolhas
Na esquerda, o primeiro desenho, sem dicas; na direita o segundo, com dicas.

Olha, apesar de não ter ficado “uau, que lindo”, achei que melhorou bastante do primeiro pro segundo. No fim foi um exercício não só relacionado ao desenho, mas a um entendimento de mim mesma, pois pude observar esse apego que muitas vezes temos de fazer a coisa “correta”, “perfeita”, “do jeito que tem que ser” e a dificuldade de se deixar levar um pouco, de trabalhar de forma mais leve, sem tanta cobrança.

Bom, não é com uma oficina que vou simplesmente ficar “craque” – seja na aquarela, seja nas coisas da vida – mas foi bem interessante e o aprendizado é sempre válido!

Beijos!

oliviaparablog

Agir, mudar, movimentar

Seguindo naquela vibe do “nada é por acaso” a reflexão que trago hoje tem a ver com uma mudança de perspectiva que estou tentando aplicar em minha vida. Essa mudança está relacionada com a ação.

Eu sempre fui de pensar muito, ponderar, planejar, considerar e reconsiderar, às vezes até fazer uma lista de prós e contras até decidir sobre alguma coisa. É claro que isso pode ser muito útil e positivo em alguns casos, mas em outros não. Entrar nessa complexidade toda para tomar decisões simples pode nos levar a um estado de nervosismo e ansiedade que ninguém merece. Uma auto-cobrança por perfeição, uma exigência para estarmos sempre certos em nossas decisões e atitudes.

A vida então trouxe pra pertinho de mim uma amiga que está vivendo totalmente contra esses princípios todos que citei acima. Ela está vivendo com pouco planejamento e como isso parece estar dando um retorno muito positivo pra vida dela, pensei que talvez funcionasse pra mim também!

(Lembrando que, como vocês já sabem de outros textos meus, cada caso é um caso e não acredito em receita pronta pra nada! Só aproveitei a oportunidade para me inspirar, e nesse caso o resultado foi bem bacana!)

♥ nossos reencontros ♥

 

Às vezes o que precisamos é de um pouco mais de desprendimento para tomar decisões com o coração, um pouco mais de coragem pra fazer o que estamos afim! Não devemos perder de vista as possíveis consequências, pois toda ação tem sua reação. Mas podemos levar algumas coisas com mais leveza.

A experiência que me levou a escrever esse texto foi a seguinte:

Estou super focada na dissertação, redigindo o capítulo final que é o mais difícil pois reúne análises, explicações, fotos, trechos de entrevista e tudo o que mais importa em uma pesquisa qualitativa com pesquisa de campo e abordagem de história oral. Eis que em meio a esse compromisso acadêmico infinito surge a oportunidade de ir para uma cidade próxima participar de um evento aberto onde eu poderia expor meus artesanatos (mandalas, potes de galáxia, e algumas coisas que eu tivesse na gaveta para vender ou trocar). E aí as mil dúvidas: Vou ou não vou? Será que se eu for vou perder o foco do trabalho podendo me atrasar? Será que não é melhor passar esses dias em casa sentadinha na frente do pc?

Essas dúvidas continuaram a pairar mesmo depois que tomei a decisão e fui para esse rolê, até que a mágica aconteceu! Eu estava meio travada numa parte do trabalho, abria, lia, olhava, pensava e não sabia como resolver. Daí liguei o computador e ~tcharã~ as coisas simplesmente fluíram! Como é bom mudar de ares!

Lembrei da música: “VAMOS NOS PERMITIR!”

Isso pode realmente gerar bons frutos, muitas vezes até além daquilo que imaginamos.

Por fim, a dissertação segue bem e eu participei do evento podendo apresentar minhas coisinhas, conhecer o trabalho dos outros e curtir bons momentos!

♥ minha banquinha ♥

 

Mandalas de Março

Olá pessoal, tudo bem?

Andei fazendo algumas mandalas que gostaria de compartilhar com vocês!

Então fiz esse post e acho que vão surgir outros desse tipo no decorrer do ano, pois espero fazer muitas mandalas sempre!

Recentemente fiz essa, bem simples, usando a caneta Staedtler Pigment Liner 0.3 da cor preta:
image

Tenho feito mais mandalas de lã, das quais contei a história nesse post aqui. E essas são as que fiz nos últimos dias:

mandala azul e marrom

mandala colorida
image

Espero que gostem! Ainda estou aprendendo e desenvolvendo habilidade nisso, mas já andei recebendo algumas encomendas, então se quiserem encomendar é só entrar em contato ^^ (inclusive estas do post estão disponíveis!)

Beijos!

Mandalas de Lã ~ Ojos de Dios

Ojos de Dios, ou, traduzindo, Olhos de Deus são originários do México. Típicos do povo Huichol, é para eles uma ferramenta ritual, um objeto mágico e também um símbolo cultural. Para este povo o Olho de Deus de quatro pontas representa os quatro elementos: Terra, Fogo, Água e Ar. Mas são feitos também com mais pontas, e com formatos simples ou mais complexos.

No ritual Huichol, o Olho de Deus começa a ser feito quando nasce uma criança. Nesta etapa, o pai tece o olho central, e depois são adicionados outros para cada ano de vida da criança até que ela atinja cinco anos de idade.

Os Huichol chamam seus Olhos de Deus de “Sikuli”, que significa “o poder de ver e compreender coisas desconhecidas”. O Olho de Deus traz, portanto, o simbolismo do poder da visão e entendimento do desconhecido.

Os Olhos de Deus são também chamados de Mandalas, pois também apresentam a característica da geometria circular.

De modo geral, a mandala é conhecida como um círculo mágico, já que em sânscrito significa “círculo” e é tida como uma figura que representa o universo. Além disso, são usadas como instrumento de meditação, em expressões artísticas e religiosas e também na psicoterapia, com destaque para os estudos de Carl Jung.

“Toda manifestação artística de uma pessoa é a imagem que surge no espelho da sua alma. Assim o é também a sua mandala que você desenha, pinta, colore, constrói, canta, representa, brinca ou dança.” (Julia Barany)

Refletindo sobre essa afirmação, me lembrei de como realmente as minhas sensações no momento da criação da mandala refletem no resultado. Sentimentos internos se mostram externamente ao se colocarem naquilo que estamos criando. É possível, portanto, utilizar as mandalas como instrumento de auto-conhecimento.

Estas são algumas das minhas mandalas de lã:

Primeira da vida
Primeira da vida ♥
Do mar, e lá perto dele ela ficou
Do mar, e lá perto dele ela ficou…
Especialíssima
Especialíssima *-*
Essa ficou no Parque Augusta! (tem foto dela no post anterior)
Essa ficou no Parque Augusta! (tem foto dela no post anterior)
A que tem dois lados (e 12 pontas!)
A que tem dois lados (e 12 pontas!)

Mais fotos você encontra nesse post aqui. E para conhecer minhas outras mandalas é só dar uma olhada na categoria Minhas Mandalas ^^

Espero que tenham gostado!

Beijos!

Fontes:

http://setasparaoinfinito.blogspot.com.br/2011/10/ojos-de-dios-cultura-dos-huichois.html

http://www.antroposofy.com.br/wordpress/os-efeitos-terapeuticos-e-curativos-das-mandalas/

http://www.significados.com.br/mandala/



			
		

Mandalas, Tai Chi, Parque Augusta e Convite!

Sim, é muita coisa pra um post só.  Mas como vocês devem ter percebido, ando meio sumida do blog e resolvi fazer esse resumão que envolve coisas que tenho feito ultimamente no mundo real e que, é claro, refletem aqui no mundinho virtual!

(Vai ser um resumo mesmo para chegar logo “ao que interessa” que é o convite. Talvez mais pra frente eu faça posts mais específicos sobre os outros assuntos, ok?)

Comecemos pelas mandalas. Todos sabem o quanto sou apaixonada e envolvida com elas, então busco sempre conhecer novos materiais e técnicas para fazer de formas diferentes. Já havia conhecido as mandalas de lã (conhecidas também como Ojos de Dios) através de uma amiga que inclusive me ensinou e pude fazer a minha primeira. Mas depois disso acabei não me dedicando e não fiz mais. Até que num grupo do Facebook descobri que haveria aqui em SP uma Vivência de Mandalas, numa data que eu poderia participar. Me inscrevi e passei um dia incrível com direito à danças circulares, almoço vegetariano, muito aprendizado e pessoas maravilhosas!

Eu e minha mandala criada na 2ª Vivência de Mandalas oferecida pela Mandalas by Lala

Como estou passando as férias em São Paulo, resolvi buscar outras atividades para fazer nesse período, e logo descobri a querida Lenny Blue que orienta práticas de Tai Chi Pai Lin aqui no centro da cidade, em locais como a Praça Roosevelt e o Parque Augusta. Foi através dela que conheci o mágico Parque Augusta. Confesso que a princípio fiquei um pouco acanhada ao entrar no parque, um lugar desconhecido, com barracas e pessoas acampadas, com mata misturada a áreas de concreto, cartazes e artes penduradas, enfim, um ambiente diferente de tudo que eu já tinha visto. Circulavam “malucos”, famílias, cachorros e senhorinhas, então logo percebi que também era espaço pra mim, afinal era espaço pra TODOS. Um cara se aproximou (acho que percebendo como eu me sentia perdida ali) e começou a me contar sobre a história do parque. Eu já tinha ouvido falar alguma coisa, mas estando ali pude entender bem mais sobre a importância de se manter o local como um parque de uso público. Não vou detalhar toda a história, mas indicarei um site onde vocês podem conhecer mais através do links indicados e, se achar justo, ajudar a pressionar para a efetiva criação do parque!

Essa placa representa muito o Parque Augusta *-* “Esta é uma área pública de uso exclusivo para sua livre expressão. É expressamente proibido proibir pedestres e animais de passear, desfrutar, permanecer, viver, amar…” ♡

Enfim, unindo tudo isso, surgiu a ideia de realizar uma roda de mandalas no Parque Augusta após uma prática de Tai Chi (siiiim, tudo se interliga aqui!). E é aí que entra a parte do convite:

Gostaria de convidá-los para uma atividade especial que realizaremos no Parque Augusta na próxima terça-feira, dia 3 de março, às 9h. A querida Lenny Blue orientará uma prática de Tai Chi Pai Lin e logo depois faremos uma roda de mandalas de lã (Ojos de Dios)!

Não precisa ter experiência com nenhuma das atividades, apenas ir com disposição e aprenderemos juntos!

Pra quem não conhece o Parque Augusta, este é um espaço que fica na região central de São Paulo e está em trâmites de negociação, enfim, uma longa história que vocês podem conhecer (e pressionar) melhor aqui: http://paneladepressao.nossascidades.org/campaigns/611
No dia 4 de março (quarta-feira) está prevista uma reintegração de posse, e creio que será um momento de muita tensão. Por isso, ao longo desses dias que antecedem, muitas pessoas tem buscado realizar atividades no local para mostrar cada vez mais sua importância para a população e também criar uma atmosfera positiva e espalhar boas energias.

Para o Tai Chi é legal ir com roupas confortáveis e quem quiser/puder pode contribuir levando material para a confecção das mandalas, sendo eles: palitos (de churrasco, de algodão doce, de sorvete), lãs/fios e tesoura. Lembrando que os materiais são opcionais, não se preocupem pois podemos compartilhar!

Fica o convite para TODAS AS PESSOAS!

3 DE MARÇO (TERÇA-FEIRA) – 9h

PARQUE AUGUSTA (entrada pela Rua Marquês de Paranaguá em frente ao DP)

É só aparecer ou entrar em contato :)

Links úteis:

Facebook Mandalas by Lala – Para conhecer e se informar sobre as próximas vivências!

Facebook Parque Augusta – Para saber mais sobre o espaço e atividades que estão rolando!

Facebook Blog Eis a Questão – Para ficar sempre por dentro do que rola aqui e obter mais informações sobre a atividade do dia 03/03.

 

Beijos!

 

Faça Você Mesmo: Mandalas em CD

Olá pessoal, tudo bem?

Hoje vim compartilhar uma ideia muito bacana para criar mandalas reaproveitando CDs.

Muita gente abriu mão destes materiais com a chegada dos computadores e do acesso fácil à música pela internet, então essa é uma ideia bem interessante para aproveitá-los em algo bem bonito ^^

Eu já conhecia a técnica mas só havia aplicado em vidro. Já havia feito essa mandala aqui, com os mesmos materiais:

???????????????????????????????

Bom, para a mandala em CD são necessários os seguintes materiais:

  • CD;
  • Fita adesiva (utilizei fita crepe);
  • Papel e lápis (para desenhar a mandala);
  • Tinta relevo;
  • Verniz vitral;
  • Palito de madeira (pode ser de dente, de unha, de churrasco);

Além disso é preciso de um toque de criatividade :)

O primeiro passo é “descascar” o CD para que fique transparente. Isso pode ser feito com a ajuda da fita adesiva: basta colar a fita e ir puxando para que a película do CD saia. Depois disso lave o CD para deixar a superfície sem nenhuma poeria ou algo que possa atrapalhar na aplicação da tinta.

Depois é importante pegar uma folha e desenhar o formato do CD (círculo) para que dentro desse espaço se desenhe a mandala. Aí é hora de usar a criatividade! Uma dica é fazer desenhos maiores, sem muitos detalhes, pois isso deverá ser possível de ser desenhado com a tinta relevo, o que eu, particularmente, não acho nada fácil. Então muitos detalhes pequenos podem dificultar a execução.

*Dica 1: forre a área de trabalho (mesa, chão) com jornal para evitar sujeira.

???????????????????????????????

Agora a parte que considero mais difícil: desenhar, com a tinta relevo, os contornos da mandala no CD. Acho difícil controlar a quantidade de tinta e ainda ter que fazer um contorno dentro da linha.. rsrs! Mas não se desesperem: mesmo não ficando um contorno perfeito, há grandes chances do resultado final te surpreender positivamente, acredite!

*Dica 2: prenda as laterais do CD com fita crepe para ficar firme e facilitar o desenho.

???????????????????????????????

???????????????????????????????

Deixe a tinta relevo secar bem. Não sei dizer exatamente quanto tempo, pois a minha acabou ficando de um dia para o outro.

Com os devidos contornos, já podemos ir pensando nas cores! Acho importante definir antes quais cores usará em cada parte, para harmonizar de acordo com sua preferência. A aplicação da tinta vitral que aprendi foi com o palito.

É assim: você pega uma pequena quantidade (uma gota) de tinta direto do potinho e aplica no CD, com o palito vai dando batidinhas para espalhar o mais uniformemente possível a tinta, buscando criar uma camada igual para que fique na mesma tonalidade em toda a área trabalhada. Dá bastante trabalho, mas gosto do resultado!

 

DSC03429

DSC03430

Maaaaaas… Já vi pessoas usarem técnicas diferentes, como nesse vídeo da Lully Mel, onde ela usa pincel:

(Ah, ela mostra como descascar o CD também!!!)

Vejam como o meu contorno ficou bem longe da perfeição, e ainda assim o resultado final ficou bem bacana, não acham? (podem dizer que não se acharem que está muito ruim, não tem problema! rsrs)

???????????????????????????????

Pena que eu não me atentei à essa numeração que acabou aparecendo… Mas parece que ela pode ser retirada com álcool (pesquisem!), ou você pode usar cores mais escuras para disfarçar. Isso também não atrapalha caso você use a mandala como porta-velas, que é o jeito que tenho usado, olha só:

???????????????????????????????

Tem também essa outra que fiz primeiro:

Ela também pode ser usada pendurada, dá pra fazer um furo e passar um fio de nylon para colocar miçangas, pena, etc. (vejam ideias no vídeo da Lully). Ainda não fiz nenhuma assim pra poder mostrar pra vocês :x

É isso galera, espero que gostem e testem! Se tiverem qualquer dúvida é só perguntar nos comentários.

Se fizerem por favor me mostrem o resultado :D

Beijão!

 

Oficina de Teatro!

teatro

Sempre me interessei por teatro. Lembro de gostar de estudar as modalidades na época da escola (não que eu ainda lembre de alguma coisa!) e de curtir assistir peças, é claro!

O ano passado, morando em São Paulo, foi bem mais fácil ter acesso e pude assistir a peças incríveis, principalmente no CCBB.

Em 2008 comecei um curso de teatro em Pouso Alegre, onde morei por um semestre. Mas pra variar eu me mudei de cidade, e não consegui concluir pois era um curso de 2 anos.

Agora, aqui em Dourados, entrei em uma oficina de teatro oferecida pela UFGD, onde faço o mestrado. Estou bem animada com a retomada de algo que gosto tanto. Assim, resolvi compartilhar aqui algumas coisas que estou aprendendo por lá!

Eis o resumo do que rolou na primeira aula:

  • Dinâmicas para aprender os nomes uns dos outros;
  • Exercitar a atenção/fazer várias coisas ao mesmo tempo: atividades com objetos, que exigem pensar e agir rápido;
  • Apropriação do espaço: andar pela sala com diferentes ritmos;
  • “Motor ligado”: parar mas ficar pronto para se movimentar novamente;
  • Aberto e fechado para o mundo: posturas que podemos tomar diante do mundo/grupo;
  • Posição do ator: braços soltos, joelhos levemente dobrados, facilita pra fazer qualquer movimento;
  • Improvisação: montar cenas sugeridas.

Tentei deixar bem resumido pra não ficar um texto enorme e cansativo, mas é claro que tudo isso foi feito de uma forma bem trabalhada e no tempo necessário para que pudéssemos apreender o que era importante em cada etapa.

Bom, foi a primeira aula então não tenho muito embasamento pra explicar muita coisa… Mas se tiverem dúvidas perguntem que farei o possível para esclarecer!

Espero trazer mais coisas no decorrer das aulas, tomara que vocês gostem!

Beijos!

Fazendo Arte: Mandala e Editor de Fotos

Nesse post aqui, mostrei pra vocês uma mandala que criei e que fiquei bem feliz com o resultado.

Quando fui editar uma das fotos no Pixlr, que é o meu editor de fotos preferido (geralmente utilizo o Express), resolvi aplicar efeitos variados e ver os resultados.

Gostei de muitos deles! E, claro, resolvi compartilhar com vocês (:

Como são vários, dei uma organizada por “categorias” pra não ficar um monte de foto jogada… rs!

Tie Dye


mandala tie die2

mandala tie die1

mandala tie die3

 

Cores, Recortes e Repetiçõesmandala4

mandala1

mandala3

mandala2

Tons

mandala7

mandala8

mandala9

mandala10

Planos de Fundo

mandala11

mandala5

mandala12

mandala6

mandala13

mandala14

 

Espero que tenham gostado dessa mistura!

Deixei uma enquete simples só pra saber um pouco sobre os gostos de vocês:

Beijos!

Poesia e desenhos

Participo de um grupo que se reúne quando possível em São Paulo. Um grupo de gente que gosta de arte, em suas mais variadas formas. Meu pai é além de outras coisas artista plástico, e dá aulas de aquarela pra algumas pessoas desse grupo também. Numa dessas aulas, a Sueli, que cede amorosamente sua casa pra essas reuniões, nos apresentou uma série de poesias do Marcello Rossilho, propondo que escolhêssemos algumas para fazer pinturas relacionadas. Eis as que escolhi e as pinturas que fiz:

2014-02-04 16.50.12 2014-02-04 16.51.02 2014-02-04 16.51.16

Algumas dessas poesias (ou todas talvez!) foram publicadas no livro A Flor Crua. Para saber mais sobre o livro e o autor, clique aqui.

E com esse post atualizei minha lista de 101 em 1001, acompanhem aqui!

Beijos!