brasil

Vamos Falar Sobre Democracia

Já disse aqui antes que sou um pouco reservada quando há assuntos polêmicos. Muitas vezes não quero me expor a ataques de pessoas contrárias à minha opinião, e em alguns casos sequer tenho uma opinião formada (porque acredito que pra isso é necessário ter informação, estudo, conhecimento e não apenas sair reproduzindo coisas prontas).

O caso é que hoje fui convidada através desse vídeo a botar a cara no sol.

E pude ver o quanto é importante esse ato, pois quando nos omitimos em assuntos tão importantes, deixamos de contribuir para o diálogo, deixamos de oferecer visões diferentes àqueles que só conhecem o caminho manipulado oferecido pela grande mídia, que “fica falando uma coisa na cabeça dos outros até aquilo virar uma verdade” (Teuda Bara).

Então vou botar minha cara no sol pela DEMOCRACIA.

Como diz o Gregório no vídeo “a democracia precisa ser regada todos os dias”. E a democracia em nosso país é tão novinha… Como podemos tirar a legitimidade de uma eleição com argumentos rasos e insuficientes? Como podemos fechar os olhos para o fato de que o processo de impeachment é regido pelos mais sujos corruptos do Congresso? Como podemos entregar nosso país nas mãos de um vice que tem mostrado sem pudor a sua face golpista e seu desejo pelo poder acima das leis previstas na Constituição?

Posso me arriscar a dizer que muitos de nós estão fazendo isso por ódio. Pela cegueira que o ódio pela presidenta Dilma e pelo PT vem causando. Às pessoas chegam ao ponto de se agredirem nas ruas. Tem gente perdendo o controle.

Mas peço, esqueçam um pouco a questão partidária, esqueçam o desejo ardente de tirar o PT do poder e reflitam: É mesmo válido fazer isso a qualquer custo? É válido substituir os corruptos do PT por corruptos de outros partidos? É interessante colocar no poder pessoas que já indicam um combate aos direitos humanos?

Pense bem em tudo que está em jogo. Olhe um pouco além do seu umbigo.

Sugiro que se faça algumas perguntas e pesquise bem caso ainda não saiba a resposta: Quem está a frente do processo de impeachment? O que essas pessoas ganham com isso tudo? Quais as pautas que essas pessoas apoiam? Quem elas realmente representam? Por que elas defendem a manutenção do financiamento privado de campanha? O que acontece quando uma empresa coloca dinheiro na campanha de um político? Por que a conquista de direitos humanos é uma afronta para essas pessoas?

PENSA, GALERA! Tem muita coisa “estranha” aí no meio. E quando negligenciamos essas informações, negligenciamos o futuro do nosso país.

É sempre bom lembrar que ser contra o impeachment não é ser a favor do governo Dilma, ou do PT. Sou contra o impeachment por ser a favor da democracia. Sou contra o impeachment por não querer entregar o país para políticos que defendem pautas que não me representam (e que não representam a maioria do povo brasileiro que demonstrou, em eleições, qual era a sua vontade).

Sou contra o impeachment porque quero REFORMA POLÍTICA DE VERDADE e não tirar presidente a qualquer custo pra fingir que agora tudo vai ficar bem.

Então vamos falar sobre democracia acima de tudo. Vamos falar sobre política. Mas vamos falar de tudo isso com uma visão mais ampla que não se resume à direita e esquerda, à PT e PSDB, à vermelho e verde e amarelo. Vamos refletir sobre nossas fontes de informação. Vamos observar os interesses que podem estar por trás das ações. Vamos pensar se não somos nós mesmos egoístas em nossas posições políticas. Vamos enxergar as nossas corrupções diárias e tentar minimizá-las. VAMOS LUTAR JUNTOS PELA DEMOCRACIA!

Esse processo não vai ser fácil. Esse processo não vai ser rápido. Nossa, acabei de lembrar de uma música perfeita pra esse momentos do post:

“Rápido a tv te entope de banalidades
Lento uma leitura certeira te dá um levante” 

Continuando… O processo é lento, mas necessário. É um processo que pode nos levar muito além, e que se tentarmos pegar certos atalhos, pode dar muita merda.

Vamos juntos nesse processo pelo fim da corrupção, vamos juntos nesse processo de fortalecimento da democracia. 

Mas vamos pensando na totalidade, vamos cientes de que não é um ato somente que vai transformar toda a realidade. Vamos trabalhar nos espaços que circulamos para transformar aos poucos, melhorar as coisas no nível micro, pra que tudo vá melhorando até chegar no macro. Vamos fazer a nossa parte antes de qualquer coisa.

Por mais críticas que eu tenha sobre o governo Dilma, e por mais que eu saiba que muita gente vai torcer o nariz, selecionei uma frase dela pra fechar esse post:

“Fora do voto popular qualquer governo será sempre a tirania. A tirania dos mais fortes, dos mais espertos, dos mais ricos, dos mais corruptos.” (Dilma Roussef) 

FIQUE ATENTO!

Anúncios

Redução da Maioridade Penal: questão polêmica, mas vamos falar disso?

Não sei se vocês perceberam, mas não costumo tratar muito de assuntos polêmicos por aqui.

Ainda mais depois que tomei um posicionamento mais zen na vida, uma busca pela positividade e o bem.

Mas o fato é que andei pensando bastante sobre o quanto pode ser ruim a gente se omitir em certos casos. E eu sempre me omito. Eu sou aquela que prefere não falar nada só de pensar na possibilidade de entrar numa discussão. Mas aí andei pensando: se frente a algo que eu acredito ser o certo eu me omito, não estou dando espaço para o “errado” vigorar? Me pareceu que sim. Então lá vou eu experimentar uma nova possibilidade: me abrir para o debate de temas polêmicos.

Vou ser mais objetiva nessa ponto: andei passando por situações com pessoas próximas em que elas expressaram algum tipo de preconceito ou pensamento que eu considerei negativo, que representava uma certa desinformação ou algo do tipo. De forma alguma quero dizer que sou mais informada ou menos preconceituosa. Mas estou tentando, e muito, me livrar de preconceitos e me informar mais. E aí diante disso eu fico naquela dúvida: vou ficar na minha e observar gente que eu amo reproduzindo discursos que me parecem tão errados ou vou colocar a cara a tapa? E era sempre a primeira opção. E sempre deixava pra lá e passava, até a pessoa fazer de novo, com um mesmo assunto ou outro diferente.

Foi então que recentemente resolvi “intervir” quando vi essa postagem na página de uma pessoa que eu realmente amo muito:

Primeiro fiquei chocada com a imagem, porque:

1) Não se justifica matar uma pessoa porque ela matou outras. (Sim, temos pena de morte em alguns países. Não, não vou entrar nessa questão).

2) Mulher negra da favela versus policial branco armado. (É tanta coisa que se pode pensar a partir disso que nem sei por onde começar, mas acho que alguns de vocês sabem o que quero dizer, né?)

Tá, depois fiquei chocada os erros de pontuação (brinks pra descontrair! rsrs).

Voltando a falar sério: Depois fiquei pensando o que o fazer sexo tem de “criminoso”. Porque sexo é uma coisa e estupro é beeeeem outra, todo mundo sabe, certo? (pelo amor de Deus, diz que sabe!).

Depois vem o 12, 14 ou 16 e a deixa: o povo deve decidir.

Gente, peraí.

Não sei se já pensaram nisso, mas grande parte dos jovens envolvidos no crime são “usados” por maiores de idade por terem penas mais brandas. “Nossa, mas então redução é a solução porque aí eles não tem quem recrutar!”. Não. O que vai acontecer é que eles vão recrutar crianças cada vez mais jovens, e o crime vai fazer parte da vida dessas pessoas ainda mais cedo. E vai chegar uma hora que a situação vai ficar insustentável (na verdade, acho que já está!).

Sobre “responder pelos seus atos”, vamos pensar: o que entendemos por responder pelos seus atos? Ir preso? Se sim, pensemos então: cadeia resolve? Pensemos mais um pouco: o que queremos afinal? Punição a qualquer custo ou redução real da criminalidade?

Parece que é a primeira opção que os defensores da redução desejam. E parece também que estão mais preocupados com a punição do que com a tentativa de prevenir. Não importa se aquele adolescente vai para uma prisão onde apenas se insere mais ainda no contexto do crime, o importante é prender esses “vagabundo”. Sim, tem muita gente pensando assim. E não, não tem cadeia suficiente. Fico pensando se com essas medidas não seria o caso de transformar algumas escolas em presídios. Já que jovens em idade escolar vão ser presos, não vamos precisar de tanta escola assim. É uma imaginação de futuro chocante, não?

Não estou defendendo a  impunidade de forma alguma. Só questiono os modos de punir (e a falta de formas de prevenir) e as formas como estamos querendo reduzir a violência. Reduzir a violência reproduzindo violência (você pode conferir expressões desta gratuitamente em diversas postagens de pessoas que são à favor da redução). Reduzir a violência colocando nossos jovens em um sistema carcerário totalmente ineficiente. Reduzir a violência com egoísmo e visão do próprio umbigo, nítidos nos discursos de “quero ver quando você for assaltado por um moleque desses” ou “tá com pena, leva pra casa” e até mesmo “torço muito pra que sua casa ou você que escreveu esse texto sofra na mão de um coitadinho como eu já sofri”(em um comentário do blog 18 Razões) –> Desejar o bem ao próximo mandou um abraço!!!

Enfim, não tenho me dedicado ao estudo aprofundado dessa questão, mas gostaria de recomendar algumas leituras pra quem tenha interesse em ampliar as perspectivas.

  • Blog 18 Razões: 18 razões e suas devidas justificativas para a não redução da maioridade penal.
  • Porque dizer não à redução da idade penal: Documento da UNICEF sobre o tema, com contextualização do debate (que não é recente) e considerações das razões para a não redução.

E pra quem tá com aquela preguicinha ou não tem tempo de abrir os links agora, deixo esses dois quadros que tem motivos interessantes para a não redução da maioridade penal:

Gostaria muito que a pessoa que amo e reproduziu isso realmente dedicasse um tempinho para ler e ao menos pensar na questão sob outro ponto de vista, ainda que se posicione à favor no fim das contas. É bem fácil “apoiar a causa” com argumentos como “adolescente marginal tem que pagar pelos seus atos” e “o que está em jogo é a segurança da nossa família”. É bem fácil se preocupar só com a nossa família enquanto milhares de outras estão numa situação de miséria tão grande que tem que apelar para o crime para sobreviver (dentre muuuuitas outras questões que permeiam a classe pobre e a desigualdade no Brasil).

O buraco é mais embaixo sim!!! Eu quero ajudar de alguma forma fornecendo informações e tentando colocar alguns posicionamentos, mas não posso obrigar ninguém a dar um tempo no programa sensacionalista da TV pra fazer uma leitura. Em alguns casos a desinformação é uma escolha, e quanto a esses, eu não posso fazer nada, infelizmente.

Maaaas, para o caso de quem já se informou e formou alguma opinião sobre o tema, aguardo nos comentários, independente se for contra ou à favor da redução, no fundo creio que seja importante ao menos começar a falar das questões, para que, quem sabe um dia, possamos pensar em soluções eficazes para os problemas, que possamos realizar ações efetivas para mudar as realidades que incomodam. Enfim, sem o caminho fácil do pessimismo e da derrota, e com perspectiva de fazer alguma mudança pra melhor!

Pra Ouvir (e dançar!): Clube do Balanço

Conheci o Clube do Balanço por meio do querido e amado Superplayer *-*

Pra quem ainda não conhece o super aplicativo/site, não perca mais tempo e clique aqui.

Playlists por gênero musical, atividades cotidianas, sentimentos e outras! Muito prático e além de sempre rolar uma daquelas músicas que a gente conhece e adora, sempre rolam coisas novas e podemos fazer boas descobertas, como essa que vim apresentar hoje!

Estava numa playlist chamada “Homesick for Brazil” e tocaram duas músicas do tal Clube do Balanço, todas me deixaram super animada, e querendo mexer o corpinho! Hahaha

Então fui pesquisar mais e descobri que esse é um grupo de samba rock, e achei o site deles, que é bem bacana e completo!

Eles já lançaram três discos: Swing & Samba Rock (2001), Samba Incrementado (2004) e Pela Contramão (2009).

Ainda não consegui ouvir tudo, mas por enquanto o primeiro é meu preferido, com as faixas Paz e Arroz (Composição Jorge Ben) e Saudade de Jackson (Composição Bedeu/Luis Vagner), as tais que ouvi no Superplayer.

Então deixo esse álbum aqui pra vocês conhecerem!

O álbum mais recente está disponível no SoundCloud, aqui.

Bom, fica a dica! Alguém aí tem mais samba rock pra me indicar?

Beijão!

Museu da Língua Portuguesa

(Esse post é praticamente uma “Parte II” deste post aqui, onde falei da exposição temporária CAZUZA Mostra Sua Cara. Nesse post falarei da parte fixa do Museu!)

2014-02-06 16.05.37

A exposição permanente fica no segundo andar do prédio, e é mais voltada para a parte histórica da Língua Portuguesa, tem painéis, objetos, vídeos… Como eu já havia visitado não tirei fotos dessa parte, mas acho que vocês devem encontrar pela internet afora. No final do post tem o link para o site do Museu e lá há mais detalhes (:

Logo que você compra sua entrada na bilheteria, te entregam um “ingresso” para o terceiro andar, com horário marcado. É que no terceiro andar acontece a projeção de um vídeo sobre a língua portuguesa (10 minutos) e uma espécie de “planetário” da língua (20 minutos), que eu fiquei encantada, pois traz diversas excelentes produções linguísticas brasileiras.

Pra quem não poderá ir pessoalmente, eis o vídeo que é exibido no terceiro andar:

O planetário é incrível, uma verdadeira imersão no mundo da literatura… E após esse momento aparecem algumas frases no chão, eis as que eu mais gostei:

2014-02-06 16.01.31 2014-02-06 16.02.152014-02-06 16.02.58

Mais detalhes sobre o que há em cada andar, e no Museu como um todo, você encontra aqui.

Fiz também umas fotos de dentro do Museu capturando o que havia fora, olhem só:

2014-02-06 16.04.22

2014-02-06 16.09.17

Enfim, é uma visita que vale a pena! Se tiverem oportunidade, visitem!

Alguém já conhece o Museu? Ficaram afim de conhecer?

Beijos!

Museu da Língua Portuguesa – CAZUZA Mostra Sua Cara

Fui visitar a Exposição Temporária do Museu da Língua Portuguesa – CAZUZA Mostra Sua Cara, que vai até 23 de fevereiro. Já estava bem afim de ir desde que soube dela, e depois que minha amiga Mayara foi fiquei ainda mais ansiosa pra ir!

A entrada custa apenas R$6,00 e ainda tem desconto pra estudantes e alguns outros grupos específicos. Tem também um dia da semana que é gratuito, se não me engano.

Não vou resistir em contar alguns detalhes da exposição pra vocês! Como tem muuuita coisa, vou falar das partes que curti mais.

2014-02-06 16.29.41

Essa é a primeira sala, toda revestida de fotos de pessoas com frases do Cazuza. E nesse primeiro ambiente está também um espaço onde você pode tirar essa foto, escolher a frase que mais gostar dentro uma lista de cerca de 40 e eles tiram a foto e te mandam por e-mail na hora! Olha a minha e da minha amiga May:

cazuza edit

cazuza may

Tinha também uma sala onde haviam várias “TVs” que iam passando depoimentos de pessoas próximas ao Caju, dentre elas Marina Lima, Lobão e Ney Matogrosso. Muito emocionante e foi uma das partes que eu fiquei mais tempo curtindo…

2014-02-06 14.54.47

Depois teve a parte do telefone *-* O telefone tocava e quando você atendia era o Cazuza, contando super animado sobre uma festa e tals… Tão bacana ouvir a voz dele assim!

2014-02-06 16.15.51

Logo após o telefone há uma sala de “karaokê“, aconteceu que entrei nessa sala sozinha e me bateu coragem pra cantar! Tava começando a Intro de Exagerado, e me lancei a cantar, foi muito bom!

2014-02-06 16.18.09

Outra parte que gostei bastante foi a exposição de objetos pessoais dele, tinha rascunhos de letra de música, all star, calça, óculos, lenço…

2014-02-06 16.24.45

Bom, tem muito mais coisa legal por lá! Quem tiver oportunidade de ir, vá, vale a pena!

Aqui você pode ver todos os detalhes sobre a exposição e sobre Cazuza. É bacana pra quem não poderá ir visitar por algum motivo (como morar em outra cidade, por exemplo) poder visualizar até mesmo o formato da exposição, pois existe uma descrição de todas as partes!

Ia falar nesse post também sobre as outras partes do Museu, mas acabei achando que ia ficar muito cansativo e resolvi separar. Então em breve farei um post sobre o Museu da Língua Portuguesa, falando da exposição permanente e outras “coisitchas(:

Pra finalizar duas fotos minhas na exposição, a primeira ficou com qualidade ruim, mas resolvi compartilhar mesmo assim porque a essência dela é especial pra mim. A segunda uma minha com o Caju *-*

lih

2014-02-06 16.29.02

Indico que você vá ao Museu sem pressa, pois há muita coisa pra se apreciar e curtir. Especialmente a temporária do Cazuza… Acho que sou suspeita pra indicar por ser fã, mas ainda assim posso dizer que é uma exposição muito bem montada, que soube usar a tecnologia para te levar pro universo do artista, que mostrou as diversas faces dele, e soube aproveitar muito bem para tratar também de questões como política e desigualdades sociais, por exemplo.

Beijão pessoal!