Daily vlogs, Bauman e memória

Esse post provavelmente vai ficar meio sem pé nem cabeça, porque tô começando sem saber realmente o que vai acontecer, mas esperando de coração que no final faça sentido.

A verdade é que eu já tinha começado um post sobre Bauman quando estava trabalhando esse tema em sala de aula, mas ele ficou abandonado. Daí hoje assisti esse vídeo do Fotografando à mesa (se ainda não conhece, recomendo!) e algumas coisas me fizeram lembrar da tal modernidade líquida tão bem abordada pelo autor:

Fiquei pensando aqui se a coisa do daily vlog (pra quem não está habituado ao internetês: quer dizer vlog diário, ou seja, gravar diariamente suas atividades, ou pelo menos parte delas)  vai virar uma tendência geral de registro de momentos. Acho que é bem possível no momento atual, considerando o avanço das tecnologias e a nossa relação tão próxima (pra não dizer relação de dependência) com essas ferramentas.

Pensei em como as minhas fotos antigas – reveladas e coladas nos álbuns – me fazem “lembrar” de momentos que certamente eu não lembraria sem registros. Depois pensei em como aquelas pastinhas do HD externo cheias de fotos da adolescência também são uma fonte importante de memórias. E agora temos essa oportunidade de registrar algo exatamente como aconteceu (acho que vídeo é um registro bem fiel, apesar da possibilidade de edição).

Pra mim parece algo sensacional, porque eu sou a pessoa que nunca lembra das coisas, daquelas que pergunta pros outros: como foi aquele dia mesmo? E aí com todos esses pensamentos, logo lembrei da pós-modernidade, ou modernidade líquida, conceito do sociólogo polonês Zygmunt Bauman.

Na verdade não pensei tanto nessa coisa do público e privado que é mais abordada no vídeo, mas na mutabilidade das coisas. Será que muito em breve não precisaremos exercitar a nossa memória, pois tudo estará registrado virtualmente? A rapidez com que as mudanças acontecem também são características marcantes dessa modernidade líquida (gente, vou precisar de um outro post num outro momento só pra falar de conceitos… mas espero que todos consigam entender mesmo que não conheçam o autor/teoria).

Enfim, o que daily vlogs, Bauman e memória têm em comum, além de fazerem uma baguncinha nos pensamentos dessa que vos escreve, é que mostram as transformações que estamos vivendo, seja enquanto sociedade ou indivíduos, em maiores ou menores proporções.

Estamos preparados para todas essas mudanças? Se ainda não, acho que é hora de começar.

 

Wishlist de aniversário

Eu não sei se já falei aqui, mas sou dessas que adora aniversário. Gosto de aniversários dos outros e do meu também (sei que muita gente não gosta de comemorar o próprio aniversário!). Sempre que possível faço algo pra comemorar, acho que é um momento de celebrar a nossa vida e a trajetória que nos trouxe até esse ponto. Esse ano faço 27, e sim, estar cada vez mais perto dos 30 me assusta um pouco. Mas a vida é assim, então vamos curtir!

Uma das coisas bem legais dos aniversários, além do principal que é reunir as pessoas queridas, são os presentes!!! Por isso fiz uma wishlist – lista de desejos – com algumas coisinhas que estou desejando no momento, vai que, né?

Moletom/Cardigã

Descobri essa loja na wishlist de aniversário da Vera, do Extraordinariando, e simplesmente não tive como não desejar algumas coisinhas. Esse moletom e esse cardigã me conquistaram!

Processador de alimentos

Não tenho preferência de marca, mas esse da Electrolux pareceu ter um preço bom e qualidade suficiente pro uso que irei fazer.

Panela de fondue

Também é algo que não tenho preferências com relação à marca e modelo, e na verdade nem sei bem o que devo buscar num produto assim. Vocês tem panela de fondue? Alguma recomendação pra auxiliar na compra?

Bota

A coisa de fazer aniversário em época de frio é que a gente sempre tá desejando itens úteis pro frio. A bota é um item que estou buscando desde o aniversário passado… kkk! O duro é que vejo coisas legais pela internet mas sapato é algo que não quis me arriscar a comprar sem provar. Acho que esse presente eu vou ter que me dar mesmo!

Capinha pro celular

Acabei de comprar uma capinha de mandala pro meu celular, mas continuo desejando vááárias! Achei esse site bem legal (apesar do precinho ser meio salgado) e amei essas capinhas aqui e aqui.

Discos de vinil

Sempre amei discos, mas não tinha vitrola. Agora que estou usufruindo de uma que era da minha avó, aceito discos de presente! Descobri recentemente a loja Bilesky Discos, e lá tem coisas bem bacanas que me interessam, como: Vanguart, Caetano, Elza Soares, Sabotage, Black Alien, Boss in Drama, só pra citar alguns, porque são muitos os desejos nessa categoria… hahaha!

 

Espero que tenham gostado da listinha! E me contem, vocês gostam de comemorar aniversário?

Beijos!

Gorda e saudável, é possível?

(Geralmente eu escrevo as coisas mais em “off” aqui no blog, mas dessa vez me desafiei e fui fazer textão no Facebook porque acho que lá tem uma exposição diferenciada. Aqui talvez até alcance mais pessoas, mas eu realmente precisava falar tudo isso para aqueles que convivo diariamente, sabe? Para a família, amigos, colegas, alunos, professores, enfim, pra todo mundo entender um pouco a questão e de repente parar pra pensar sobre). 

Então, deixo aqui o link pro post original do Face e também a cópia pra quem quiser ler por aqui mesmo:

Hoje assisti alguns vídeos do Canal Alexandrismos e a cabecinha começou a funcionar e mil pensamentos emergiram. A partir disso, pensei em como a minha necessidade de aprovação externa (das outras pessoas) era uma das coisas que eu sinto precisar mudar em mim para viver melhor. E daí lembrei de tantas vezes que precisei pedir um ok de alguém sobre a roupa que vesti, sobre coisas que escrevi, ou qualquer outra coisa. E lembrei também que escrevi um texto essa semana e estava super insegura sobre postar ou não, e a primeira coisa que me surgiu foi pedir pra alguém ler e me dizer se estava bom, se fazia sentido ou sei lá. POR QUE? Por que não me sinto bem em simplesmente expor o que eu penso, sinto, quero? Me dei conta de que isso demonstra uma falta de auto confiança da minha parte. E, claro, essa não é uma questão que irá se resolver de uma hora pra outra, mas resolvi fazer um teste, me desafiando a postar sim o texto que escrevi, e ainda escrever isso tudo aqui que você acabou de ler pra contextualizar. Então vamos lá descobrir o que acontece quando agimos diferente do que estamos acostumadas! Ah, também não posso deixar de mencionar a lynda Luiza Junqueira do Canal Tá, Querida que também está me ajudando muito nesse processo de auto aceitação. E tem também a Jessica Tauane do Canal Gorda de Boa que é incrível! Enfim, só pra citar algumas das mulheres gordas maravilhosas da internet que estão fazendo um trabalho incrível ajudando minas a se amarem do jeito que são

Mas vamos ao texto que mencionei acima:

Seria cômico se não fosse trágico: hoje fui até a ginecologista levar os meus resultados de exames de sangue para ela verificar. De antemão – visto que no último ano ganhei 10 quilos e que estes são apenas parte de um ganho de peso que já vem acontecendo há um bom tempo – já me preparei para alguma alteração que provavelmente me forçaria a mudar alguns hábitos. Pensei em como talvez isso seria até bom, aquele empurrãozinho de que eu necessitava pra aderir a uma vida mais saudável, me alimentando “melhor” e fazendo atividade física com mais frequência (a receita mágica para emagrecer que nos vendem em qualquer esquina ou postagem do mundo fitness). Afinal, gorda assim certamente não estou saudável – reproduzi mais uma vez aquele discurso da galera da patrulha da “saúde”. E, PASMEM, a médica olhou meus exames e falou que está TUDO ÓTIMO. Antes que eu pudesse mais uma vez questionar como isso seria possível já que sou gorda, simplesmente sorri, quase que um sorriso de vingança do mundo: POSSO SER GORDA E SAUDÁVEL SIM! Ainda me sinto na obrigação de mudar meus hábitos alimentares e voltar para práticas mais regulares de atividade física, mas agora estou mais consciente de que minha saúde não se resume só ao meu peso. Agora entendo muito mais que a patrulha do peso está sim mais preocupada com a nossa aparência do que com a nossa saúde. Agora entendo muito mais o quanto as pessoas sofrem com gordofobia diariamente sim, e o quanto é ruim esse monte de gente dizendo que é tudo mimimi enquanto pessoas reais estão sofrendo com tudo isso. Agora entendo muito mais as blogueiras/youtubers/pessoas gordas que defendem a necessidade de nos amarmos como somos acima de todas as regras impostas por anos (mas ainda não cheguei nesse nível de me amar incondicionalmente, ainda). Agora entendo que se eu achar necessário mudar meus hábitos vai ter que ser algo que parta de mim mesma e seja por mim mesma, e não pra agradar alguém ou me encaixar no padrão (até porque isso sempre esteve presente e não me fez mudar nadinha). Enfim, esse é um desabafo que eu realmente precisava fazer, por mim mesma e por todas que se identificam com essa questão. Vamos sim nos preocupar com a nossa saúde, mas não vamos esquecer que nosso peso é só um número que significa muito pouco perto de tudo o que realmente somos e podemos ser!

 

Atualização:

Fiquei um tempão na indecisão pra apertar o “Publicar” no Facebook. Fiquei pensando se no fundo não era só uma necessidade de chamar atenção, fiquei pensando em quem ia ler e o que iam pensar (pensei na família, nas amigas magras, nos alunos, nos machos desagradáveis). Apertei e saí correndo. Depois de um tempo começaram a aparecer notificações de comentários e a curiosidade de geminiana me obrigou a abrir. E olha, até agora só comentário maravilhoso 

Uma tentativa de abordagem menos clichê do clássico “faça sua parte”

social-media-1744854_960_720

Estou cada vez mais aprendendo a importância do “faça sua parte”. Para além da frase clichê, é claro. Essa semana, na disciplina de Sociologia que ministro no curso de Administração, tivemos seminários com temas ligados ao preconceito (homofobia, intolerância religiosa, racismo, preconceitos contra a mulher, idosos e deficientes) e falamos muito sobre o que o governo ou a mídia poderiam fazer para minimizar os problemas provenientes da “simples” falta de respeito ao próximo. Por fim, concluímos também que é importante que cada um de nós faça a sua parte. Muitos se mostraram pessimistas dizendo que tem coisas que não vão mudar, mas lembramos que a educação tem um grande poder transformador, e que podemos ser protagonistas dessas transformações ao nos colocarmos como agentes dela, e não apenas esperarmos que alguém o faça (escola, governo, etc.).

Creio que isso começa pelas mudanças pessoais que desenvolvemos ao notar a maneira como reproduzimos preconceitos e crenças limitantes que nos foram ensinadas. E depois, acredito, podemos passar a exteriorizar isso de forma a mostrar aos demais essas amarras das quais podemos sim nos desprender. E daí vem a nossa responsabilidade com as gerações futuras. Conversando com as amigas esses dias também falamos disso: nós podemos oferecer aos nossos filhos uma educação diferente, nós podemos disseminar novos valores, ligados ao respeito e ao amor acima da competitividade e egoísmo que muitas vezes nos foi ensinado. Sim, é difícil fazer isso sozinho. Sim, é difícil fazer isso num mundo como esse que estamos. Então parece que a solução é mesmo nos unirmos para mudar o mundo. E isso não vai se realizar se continuarmos achando que não somos capazes, se continuarmos acreditando nas mentiras que nos contam, e se continuarmos tão distantes uns dos outros. Só o amor une, só o amor salva. Eu acredito e confio.

oliviaparablog

7 anos de blog!

Número, Sete, Número Da Casa, Telhas, Telha, Padrão

É gente, o tempo não pára e já são 7 anos de Eis a Questão… ❤

Foram anos mais e menos ativos, posts dos mais diversos temas e tipos, fases da vida, mudanças, cidades, cores, comidas, amigos! Impossível resumir 7 anos de blog sem deixar passar alguma coisinha.

Mas o que quero mesmo comemorar é o amor que encontrei por aqui, em cada blog que me inspirou, em cada pessoa que alegrou meu dia com um comentário, em cada um de vocês que posso hoje, sem medo, chamar de amigos!

Dia Dos Namorados, Coração, Brilhar, Transparente

Minha gratidão a todos que contribuíram de alguma forma para que o blog permanecesse vivo nesses 7 anos! E que tenhamos muitos anos pela frente! Beijão!

Recuperando escritos pra ter o que postar

As coisas estão uma loucura nesses últimos dias. Não estou conseguindo parar pra postar, pra ler os blogs que eu curto e até tenho demorado pra responder os comentários por aqui. Então, pra não deixar o blog abandonado, resolvi recuperar alguns rascunhos que estavam por aqui e reunir umas coisinhas que estavam escritas. Tem coisas beeem antigas e outras mais recentes. Não sei se vai fazer muito sentido em conjunto, mas vou colocar separadinho de toda forma.

Espero voltar logo! Saudades de vocês ♥

_________________________________________________________________

woman-918981_960_720

Às vezes eu sinto essa coisa que não bem como chamar. Parece um pouco com preguiça, desânimo, desligamento de tudo. Parece que simplesmente nada mais importa. Nem o tempo, que parece algo tão distante, que se vai mas ainda está aqui. Preguiça da política, das pessoas, das discussões. Desânimo ao pensar nas atividades do dia e em como tudo ficou tão automático e sem graça. Desligamento das coisas concretas, parece que tudo é apenas ar, flutuando por aí.

_________________________________________________________________

É incrível como temos nos rendido a essa necessidade de mostrar aos outros o que somos, fazemos ou alcançamos.

Percebam que faço a crítica também a mim mesma, e não como mais uma reclamação, mas na tentativa de, aqui e agora, enquanto escrevo, conseguir compreender melhor o porquê disso, e se é bom ou ruim (ainda que, me conhecendo um pouco, eu acredite que não chegarei a alguma conclusão concreta).

Enfim, isso mesmo que fiz no parágrafo acima foi uma tentativa de me explicar. E por que nos preocupamos tanto com o que os outros vão pensar?

A gente sempre quer parecer bacana. Queremos ser reconhecidos por alguma coisa. E por que não querer, se isso nos traz alguma felicidade?

Não é bom receber um elogio? E não é melhor saber, dentro de nós, que estamos fazendo algo de bom? Então porque esperamos tanto por aprovação? Por que julgamos tanto nossas atitudes e as dos outros?

Eu sempre acabo caindo numa série de perguntas, geralmente difíceis de responder…

________________________________________________________________

city-731134_960_720

E tudo acaba ficando pesado demais.

As horas contadas, o concreto, a pretensão alheia.

Você precisa ser, fazer, acontecer, porque alguém um dia disse.

_________________________________________________________________

Um dia cinza,

desses que você tem certeza de que o melhor é ficar em casa.

Nem que seja pra curtir a dor,

pra não fazer absolutamente nada.

Porque pelo menos aqui você se sente protegido,

protegido desse mundo do qual não se tem o que esperar.

Ambulâncias, ônibus, freadas bruscas.

Daqui é só ouvir a loucura que está lá fora,

e se conformar de que podia ser pior.

_________________________________________________________________

A gente sempre acaba esperando que alguém se importe

e quando parece que não há ninguém, é desesperador.

Você pensa nas possibilidades, em quem está por perto,

mas parece que não se lembram de você.

É como se tudo fosse reduzido a pó

as coisas boas se apagam, a dor prevalece.

Só te resta mergulhar em si mesmo,

buscar explicações que já sabe que não vai encontrar…

_________________________________________________________________

 

Transformando algumas metas {Primeiro post de 2016}

Quem leu meu último post de 2015 sacou que estou numas de desapegar de metas, certo?

E esses dias andei olhando a minha lista de 101 coisas em 1001 dias e vi que algumas coisas não fazem mais sentido pra mim… E sendo assim, porque manter essas metas?! Vamos mudar!

Resolvi que não vou eliminar nenhuma meta, mas transformar aquelas que não fazem muito sentido em algo que faça.

Então vou fazer uma lista das metas antigas e logo abaixo a meta nova, com uma breve explicação sobre a mudança:

9- Mandar fazer buttons com desenhos que fiz no COLOURlovers

9- Fazer mais imãs com desenhos que fiz no COLOURlovers

Bem, já fiz alguns imãs com desenhos que fiz nesse site e ficou muito bacana. Já presenteei algumas pessoas com eles e usei vários num mural de fotos que fiz na lateral da minha geladeira (foto abaixo), então acho que vai ser mais interessante fazer mais disso do que buttons, que já nem tenho usado mais e acho que é algo que as pessoas utilizam menos também.

12- Perder 5 kg até o final dos 1001 dias

12- Buscar caminhos para ter uma relação melhor com a comida/alimentação

Com algumas questões que aconteceram comigo recentemente resolvi buscar ajuda pra entender algumas coisas que me incomodavam e tinham relação com comida/alimentação. Me lembrei de um blog que eu já acompanhava e achava bem bacana, o Não Sou Exposição, e falando com a Paola, nutricionista responsável pelo blog, entendi algumas coisas bem importantes que me fizeram querer mudar essa meta.

Vou pontuar algumas coisas que acho interessantes, porque creio que possa ajudar outras pessoas também:

  • Peso é só um número, e ele não determina quem você é.
  • “Quem escolhe a sua alimentação não são os outros, é você.” (Paola)
  • “Harmonize seu relacionamento com a comida. Entenda que você pode consumir e saborear de tudo, sem excessos e sem culpa.” (Paola)
  • Emagrecer pode ser uma ótima consequência de um bom relacionamento com a comida, mas se isso for a meta, provavelmente só vamos nos encher de cobranças e ansiedade, o que nos prejudica de muitas formas.
  • Você não está sozinh@, procure ajuda sempre que achar necessário.
  • “Não é mudando que você vai se amar. É se amando que você vai mudar.” (Paola) → minha preferida ♥

 

16- Escrever frases bacanas em Post It e colar pela cidade

16- Manter as postagens na categoria Mensagens do Bem

Bom, essa meta poderia ser executada ainda, mas fazia mais sentido quando eu circulava por SP. Agora fico muito em casa dissertando e além da facilidade de mandar as frases bacanas pelo computador, tem o fato de que por aqui creio que elas possam atingir mais pessoas. Tenho tido um retorno muito positivo com os posts de mensagens do bem, então vamos continuar fazendo o que já está dando certo :)

 

57- Terminar de colorir meu livrinho de mandalas

57- Continuar colorindo mandalas

Gente, essa é realmente uma meta que está fora de cogitação! Rsrsrs… Antes eu tinha UM livrinho de mandalas, e agora tenho VÁRIOS!!! Além da quantidade não ajudar, tem o fato de que as mandalas não são coisas a serem feitas roboticamente, a coisa tem seu próprio ritmo, nós temos o nosso ritmo que determina nossas atividades. Então nada de pressa para terminar de colorir algum livro, e sim uma meta de seguir colorindo mandalas, que é algo que me proporciona muita coisa boa!

74- Conhecer a primeira namoradinha do meu irmão

74- Me divertir com o meu irmão

Gente, sério, da onde eu tirei essa ideia? Dá até vergonha. Primeiro que é uma coisa totalmente fora do minha alçada. Segundo que meu irmão vai namorar no tempo dele e eu não tenho nada a ver com isso. Terceiro que pode não ser uma namoradinha, né? Enfim, tem tanta coisa errada nessa meta que só transformando ela em algo bem positivo vai ter salvação. Passar um tempo juntos, nos divertindo vai ser uma boa saída :)

 

Bom gente, é isso: algumas metas transformadas, um novo ano começando e ótimas perspectivas!

Beijos!

Acontece agora

Acontece agora, na manhã de 27 de junho de 2015, uma manifestação na Praça 9 de Julho em Presidente Prudente. Uma manifestação que ouvi através dos meus fones de ouvido enquanto transcrevo as entrevistas da pesquisa do mestrado. A pessoa ao microfone afirma: “Esta é uma manifestação pela desmilitarização da polícia, essa é uma manifestação contra a redução da maioridade penal”. Ouço os tambores e palavras de ordem que não consigo entender bem. Quero correr pra lá. Mas Dona Maria José precisa ser ouvida também, sua história de luta pela terra e suas experiências como, agora, assentada rural, são mais importantes pra mim neste momento. Mas meu coração bate pelos que foram assassinados pela polícia, pelos 300, segundo o que dizem ao microfone lá embaixo, 300 pessoas que foram assassinadas somente nos 3 primeiros meses do ano de 2015. “A polícia militar do estado de São Paulo é uma polícia de guerra. O povo brasileiro é pacífico, não queremos guerra.”. Falo por mim que não quero. Sei que posso falar por alguns amigos também. Mas infelizmente sei que muitos querem. Muitos querem vingança acima de tudo. Pena de morte é o que? Redução da maioridade é pra quem? Quem se revolta com a reforma agrária? Quem se beneficia com uma polícia corrupta? Tudo se cruza e ao mesmo se distancia em meu pensamento. “Se eu continuar pensando e escrevendo tudo isso, não acabo a transcrição hoje.”. É, a “vida” chama para as obrigações e tantas vezes nos tira do momento de reflexão. A televisão chama e tantas vezes nos tira de uma boa leitura. A tradição chama e tantas vezes não nos permite pensar para além das regras um dia ditadas. O coração também chama… mas estamos distraídos com tantas outras coisas que não escutamos. Não escutamos o chamado mais importante.

Daí lembrei que minha banda favorita tem um álbum e uma música com esse nome.

E ela fez total sentido.

 

Risoto de Rúcula e Tomate Seco

Gente, eu a-do-ro risoto! E me dei conta de que não tinha postado nenhuma receita dessa delícia por aqui :o
Descobri essa maravilha culinária não tem muito tempo, mas desde então sempre acaba salvando meus jantares quando quero sujar apenas uma panela e fazer algo bem gostoso :)
Às vezes eu não sigo as regras certinhas para um bom risoto (desculpa mundo!) mas fica bom mesmo assim (chupa mundo!) então vou passar a receita do jeitinho que eu fiz, mas não deixarei de mencionar essa receita que foi a que me inspirou e que sim, tem todos os passos e ingredientes para um bom risoto ^^
Ah, é bom lembrar também que eu reduzi as quantidades pois fiz só pra mim!
risoto rúcula tomate seco

 

Risoto de Rúcula e Tomate Seco

Ingredientes
  • 1 xícara (chá)  de arroz arbóreo (não muito cheia)
  • 1 xícara (chá) de rúcula (corte as folhas se estiverem muito grandes)
  • 1/3 xícara (chá) de tomate seco picado
  • 1/3 xícara (chá) de vinho branco (usei o suave, era o que tinha!)
  • 1 dente de alho picado
  • 1 colher (sopa) de azeite de oliva
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • Água fervente (eu não sei dizer exatamente quanto usei, pois costumo ir provando o risoto até atingir o cozimento que gosto – outra coisa, é bem interessante usar caldos dissolvidos nessa água, mas eu não tinha mesmo! hahaha)
  • Sal a gosto
Preparo
  1. Refogue o alho no azeite e acrescente o arroz arbóreo.
  2. Mexa até dourar, adicione o vinho e deixe evaporar, mexendo sempre.
  3. Cozinhe, aos poucos, acrescentando a água sempre que necessário.
  4. Quando estiver quase no ponto, acrescente o tomate seco e misture.
  5. Desligue o fogo quando o arroz estiver cozido, acrescente  a manteiga e misture bem.
  6. Junte a rúcula, misture e deixe descansar um pouco antes de servir.
Você pode servir com rúcula fresca, como fiz, e pode também colocar queijo parmesão ralado.
Acho que diversos tipos de queijo podem ir bem com essa receita inclusive! Vi receitas com mussarela, parmesão, brie e outros, vale a pena testar!
Espero que tenham gostado da receita, e, claro, me contem se fizerem!
Beijos!

Faça Você Mesmo: Mandalas em CD

Olá pessoal, tudo bem?

Hoje vim compartilhar uma ideia muito bacana para criar mandalas reaproveitando CDs.

Muita gente abriu mão destes materiais com a chegada dos computadores e do acesso fácil à música pela internet, então essa é uma ideia bem interessante para aproveitá-los em algo bem bonito ^^

Eu já conhecia a técnica mas só havia aplicado em vidro. Já havia feito essa mandala aqui, com os mesmos materiais:

???????????????????????????????

Bom, para a mandala em CD são necessários os seguintes materiais:

  • CD;
  • Fita adesiva (utilizei fita crepe);
  • Papel e lápis (para desenhar a mandala);
  • Tinta relevo;
  • Verniz vitral;
  • Palito de madeira (pode ser de dente, de unha, de churrasco);

Além disso é preciso de um toque de criatividade :)

O primeiro passo é “descascar” o CD para que fique transparente. Isso pode ser feito com a ajuda da fita adesiva: basta colar a fita e ir puxando para que a película do CD saia. Depois disso lave o CD para deixar a superfície sem nenhuma poeria ou algo que possa atrapalhar na aplicação da tinta.

Depois é importante pegar uma folha e desenhar o formato do CD (círculo) para que dentro desse espaço se desenhe a mandala. Aí é hora de usar a criatividade! Uma dica é fazer desenhos maiores, sem muitos detalhes, pois isso deverá ser possível de ser desenhado com a tinta relevo, o que eu, particularmente, não acho nada fácil. Então muitos detalhes pequenos podem dificultar a execução.

*Dica 1: forre a área de trabalho (mesa, chão) com jornal para evitar sujeira.

???????????????????????????????

Agora a parte que considero mais difícil: desenhar, com a tinta relevo, os contornos da mandala no CD. Acho difícil controlar a quantidade de tinta e ainda ter que fazer um contorno dentro da linha.. rsrs! Mas não se desesperem: mesmo não ficando um contorno perfeito, há grandes chances do resultado final te surpreender positivamente, acredite!

*Dica 2: prenda as laterais do CD com fita crepe para ficar firme e facilitar o desenho.

???????????????????????????????

???????????????????????????????

Deixe a tinta relevo secar bem. Não sei dizer exatamente quanto tempo, pois a minha acabou ficando de um dia para o outro.

Com os devidos contornos, já podemos ir pensando nas cores! Acho importante definir antes quais cores usará em cada parte, para harmonizar de acordo com sua preferência. A aplicação da tinta vitral que aprendi foi com o palito.

É assim: você pega uma pequena quantidade (uma gota) de tinta direto do potinho e aplica no CD, com o palito vai dando batidinhas para espalhar o mais uniformemente possível a tinta, buscando criar uma camada igual para que fique na mesma tonalidade em toda a área trabalhada. Dá bastante trabalho, mas gosto do resultado!

 

DSC03429

DSC03430

Maaaaaas… Já vi pessoas usarem técnicas diferentes, como nesse vídeo da Lully Mel, onde ela usa pincel:

(Ah, ela mostra como descascar o CD também!!!)

Vejam como o meu contorno ficou bem longe da perfeição, e ainda assim o resultado final ficou bem bacana, não acham? (podem dizer que não se acharem que está muito ruim, não tem problema! rsrs)

???????????????????????????????

Pena que eu não me atentei à essa numeração que acabou aparecendo… Mas parece que ela pode ser retirada com álcool (pesquisem!), ou você pode usar cores mais escuras para disfarçar. Isso também não atrapalha caso você use a mandala como porta-velas, que é o jeito que tenho usado, olha só:

???????????????????????????????

Tem também essa outra que fiz primeiro:

Ela também pode ser usada pendurada, dá pra fazer um furo e passar um fio de nylon para colocar miçangas, pena, etc. (vejam ideias no vídeo da Lully). Ainda não fiz nenhuma assim pra poder mostrar pra vocês :x

É isso galera, espero que gostem e testem! Se tiverem qualquer dúvida é só perguntar nos comentários.

Se fizerem por favor me mostrem o resultado :D

Beijão!