indicações

5 filmes que assisti nos cinemas em Outubro

Sim, nem é fim do mês e fui aos cinemas ver 5 filmes! Mas vamos contextualizar: viajei pra São Paulo no feriadão e como na minha cidade os filmes são bem restritos, sempre que vou pra capital tento aproveitar ao máximo!

A boa notícia foi que em dois desses filmes paguei apenas R$2,00 no ingresso! Foram eles: Uma mulher fantástica e As duas Irenes. Ambos assistidos no Cine Olido, sala de cinema localizada na Galeria Olido, no centro de SP. Esses filmes faziam parte do Circuito SPcine, um projeto com intuito de democratizar o acesso ao cinema (muito válido inclusive, pois em SP os ingressos são bem caros em salas comuns, como aquelas de shoppings!).

Vamos aos comentários sobre os filmes?! Não vou contar a história e do que tratam, mas deixo o trailer pra contextualizar. A ideia é comentar minhas percepções pessoais sobre as obras, e quem sabe incentivar aqueles que ainda não assistiram!

 

O melhor professor da minha vida

Acho que foi um dos meus preferidos dessa temporada, não só por me identificar diretamente – por ser também professora e enfrentar a necessidade latente de encontrar formas inovadoras de ensino para transpor a forma tradicional que já não funciona bem – mas também pela história, pelos personagens e pela mensagem que considero muito relevante. Pra mim, reforçou a questão da existência das desigualdades sociais e a forma como isso prejudica as novas gerações, mantendo o abismo entre as classes sociais. Por outro lado, também mostrou algum otimismo ao vermos através do exemplo que uma mudança é possível, difícil, mas possível.

Uma mulher fantástica

Importantíssimo para visualizarmos a posição de uma pessoa trans na sociedade atualmente. A invisibilidade, o preconceito, a violência e, o que mais me chamou atenção, a forma como não se consegue ver essas pessoas como iguais. Algumas cenas que acredito terem pretensão de apresentar uma simbologia acabam ficando um pouco confusas ou forçadas, mas no geral achei um filme interessante, não apenas pela questão da transexualidade, mas pela história em si.

As duas Irenes

Um filme Brasileiro com B maiúsculo. Despertou memórias, reconhecimentos, nostalgias. Não só pela idade e fase das meninas, pelas quais todos passamos, mas pela fotografia e cenografia que me levaram a retomar as férias na fazenda com móveis antigos, a sensação de liberdade de morar em cidade pequena. A questão do patriarcado aparece sutilmente, mas de forma notável. Trata de questões familiares complexas com uma delicadeza interessante.

A menina índigo

Confesso que no início tudo indicava que seria um filme “bobinho”, um filme que teria um grande potencial, mas uma abordagem fraca demais. Mas acabou me surpreendendo positivamente, principalmente quando entendi que o tema é muito novo para a maioria das pessoas, e uma abordagem mais complexa iria atrapalhar. Assim, acho que o filme cumpre seu papel ao trazer o assunto à tona, ao nos fazer pensar sobre as mudanças que estamos enfrentando no mundo e sobre como podemos lidar com tudo isso.

Como nossos pais

Um drama reflexivo e super atual. Feminismo, monogamia, relações familiares, educação, liberdade, desejos: tudo isso aparece na história. Acho que no fim, pra mim, ficou uma mensagem de que, apesar do “ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais”, podemos romper o ciclo. Podemos identificar os erros e tentar não repeti-los, assim como aprendemos a copiar os acertos. Na verdade, entendo que importante é saber trilhar nosso próprio caminho, sem se prender aos padrões, sejam familiares ou sociais. Quando o filme desperta essas reflexões dá pra dizer que é bom, certo?

E aí, gostaram? Quem já viu algum desses filmes? Adoraria ver nos comentários as percepções de vocês sobre eles! E pra quem não assistiu, me conta se ficou afim de ver algum!

Beijos!

 

Anúncios

Queridinhos de 2016 – Música

Olar gentem! Tudo certo?

Fim de ano chegou e como amante das listas que sou, resolvi fazer esse post com meus sons preferidos em 2016. Pretendo fazer listas de outras coisas, mas não prometo nada… rsrsrs!

Lembrando que essa lista não é necessariamente de músicos/álbuns lançados neste ano, mas sim daqueles que mais ouvi ou que mais me marcaram nesse ano lindo. E também quero dizer que não está em ordem de preferência, a ordem foi só conforme fui lembrando mesmo! Hahaha

Vamos lá:

Liniker (& Os Caramelows)

Essa lindeza apareceu na minha vida ano passado com a música mais grude: Zero. E permaneceu porque faz um som maravilhoso, e por ser uma pessoa lacradora destruidora de padrões de gênero!

Braza

Na verdade não lembro direito como descobri o Braza, mas só depois de já estar curtindo fiquei sabendo que é uma banda composta por integrantes do Forfun que já era uma banda que eu curto há um tempo. Esse é o tipo de som que faz a gente pensar, refletir sobre coisas muito além daquilo que vemos no cotidiano.

Nomade Orquestra

Indicação da Gringa (sempre manda bem nas dicas musicais!), ouvi muito pra preparar aulas, corrigir provas… Instrumental é muito bom pra atividades intelectuais, acho que porque não interfere nos pensamentos de uma forma ruim :)

Tássia Reis

Essa também foi recomendação da Gringa e pra ajudar tive o prazer de ver essa moça divar numa participação do show d’As Bahias e a Cozinha Mineira (gente, elas são incríveis, não estão na lista porque não escuto muito, mas recomendo que conheçam!). Super delicinha esse som!

Black Alien

Tive que deixar os dois álbuns porque ouvi muito os dois! Depois que o rap me conquistou sempre tem um som desse tipo nas minhas playlists, e é um dos sons que mais me faz pensar nas coisas. O Black Alien fala de questões sociais a espirituais, e tudo isso tem feito muito mais sentido pra mim ultimamente.

E vocês, o que ouviram bastante esse ano?

Aceito recomendações :D

Beijos!

Minhas séries favoritas

Como em quase tudo na minha vida, sou eclética também com relação à séries/seriados.

Vou listas aqui as minhas preferidas (até agora) e falar um pouquinho sobre elas!

Grey’s Anatomy

Descrição: Meredith é uma jovem cirurgiã no Seattle Grace Hospital. Ela e seus colegas Cristina Yang, Izzie Stevens, George O’Malley e Alex Karev, que também são residentes, eram estudantes até pouco tempo. Hoje, eles são médicos em um mundo onde o aprendizado pode ser uma questão de vida ou morte, e ainda precisam lidar com os problemas de suas vidas pessoais.  (Essa é a descrição inicial, referente às primeiras temporadas. Muita coisa vai mudando no decorrer da série!!!)

Temporadas: 10

Meus comentários: Queridinha das queridinhas e primeira série que comecei a seguir. Já está na 10ª temporada, e tenho visto muita gente questionando os rumos que está tomando. Mas eu ainda curto bastante, a gente se apega de certa forma, e nas séries, assim como na vida real, nem sempre as coisas saem como esperamos. E poxa, em 10 temporadas não dá pra ficar tudo igual mesmo, né?!

The Big Bang Theory

Descrição: Leonard  e Sheldon são dois brilhantes físicos que dividem o mesmo apartamento. Suas vidas se complicam quando uma belíssima  jovem, porém pouco inteligente, Penny, se muda para o apartamento do lado. A chegada de Penny perturba um pouco a Sheldon já que ele prefere passar as noites jogando Klingori Boggle com seus amigos e colegas de trabalho e também cientistas, Wolowitz e Koothrappali. Contudo, Leonard vê em Penny a possibilidade de aprender a interagir com as mulheres e sente que ela é um novo mundo cheio de possibilidades, e quem sabe, do amor. Sheldon acha que isso é um sonho que nunca se realizará, porém, talvez estas mentes brilhantes possam aprender algumas coisas com a jovem.

Temporadas: 7

Meus comentários: Não lembro como foi que comecei a seguir, mas é simplesmente cativante! Os personagens com suas características especiais, fazem da série a mais divertida dentre as que assisto. Muitos elementos do universo nerd, com boas sacadas!

Awkward

Descrição: Jenna Hamilton é uma jovem que sofre um acidente no banheiro, o qual passa a ser considerado por todos na escola como uma tentativa de suicídio. A partir daí, ela se torna uma celebridade. Se antes era ignorada por todos, agora as pessoas querem saber quem ela é, o que pensa, o que deseja e, é claro, os motivos que a teriam levado a tentar se matar. A série apresenta duas linhas temáticas que vêm sendo muito exploradas pela mídia nos últimos anos: pessoas taxadas de ‘perdedoras’ que se tornam o centro das atenções; e a ideia de que, para se tornar uma celebridade ou pessoa interessante, basta protagonizar situações que despertam a curiosidade do público.

Temporadas: 3

Meus comentários: Vi uma propaganda uma vez e assisti o primeiro episódio sem esperar muita coisa. Mas fui me envolvendo nas tramas da vida de adolescente da Jenna, e não parei mais! Talvez eu já esteja um pouco grandinha pra esse tipo de seriado, mas poxa, quem passou por esta fase da vida sabe como ela é especial e marcante, então está sendo muito divertido acompanhar e relembrar algumas coisas… Hehehe!

Please Like Me

Please Like Me

Descrição: Please like Me é uma sitcom australiana criada e estrelada por Josh Thomas. Inspirada em situações vividas por ele, Josh interpreta um jovem que tenta aproveitar ao máximo os prazeres de dividir com amigos uma casa de veraneio. Mas quando seu pai Alan troca a esposa Rose por Claire, uma mulher mais nova, Josh precisa voltar para casa para cuidar de sua mãe, que passa a sofrer de depressão.

Temporadas: 1

Meus comentários: O que me cativou de cara na série foi o jeitinho de Josh. Meio esquisitinho, gay, fofo, não sei explicar direito! Hehehe! A série em geral tem um estilo diferente, que eu não sei explicar direito… Então só assistindo mesmo!

The Blacklist

Descrição: James Spader interpreta Raymond, um ex-militar do serviço de inteligência que se transforma em um dos criminosos mais procurados do governo. Quando ele se entrega aos federais, faz um acordo para ajudar a polícia a capturar outros criminosos que fazem parte de uma lista. Em troca, pede para trabalhar ao lado de Elizabeth Keen, uma agente novata do FBI que, aparentemente, não tem nenhuma conexão com ele. Ou será que tem?

Temporadas: 1

Meus comentários: De verdade mesmo? O primeiro episódio não me convenceu. Mas a curiosidade me fez ver o segundo, e a partir daí me envolvi com a trama e não parei mais! Uma série com emoções, cheia de segredos e suspense.

* As descrições foram retiradas/baseadas em informações do site O Melhor da Telona.

Também comecei a assistir Breaking Bad recentemente, ainda não tenho muito o que dizer sobre, mas todos que me indicaram falaram muito bem!

E aí, vcs assistem séries? Aceito dicas e indicações (:

Alguém acompanha alguma dessas que eu mostrei?

Beijos!