post

Projetinhos, projetinhos

Esses dias em uma conversa com amigos comentávamos como um deles, geminiano como eu, se envolvia em diversos projetos ao mesmo tempo tornando a vida uma correria só. Fiquei pensando que eu não tinha essa característica geminiana tão aflorada, mas estou vendo que na verdade tenho sim.

Minhas atividades e gostos são bem ecléticos, e atualmente atuo como professora, escrevo neste blog, faço mandalas de lã e participo de um projeto social (que apresentarei no próximo post com todos os detalhes!) dentre outras muitas atividades cotidianas “menos oficiais”.

Olhando assim pode parecer pouco até, mas garanto pra vocês que tudo isso ocupa um belo tempo da vida, ainda mais considerando um cotidiano que envolver também os cuidados com a casa, a atenção necessária à família, o autocuidado com terapia, exercício físico, etc. etc. etc.

Maaaaas, apesar de todas essas atividades e correrias, eu me envolvi em outro projeto – e foi aí que eu percebi que sou dos projetinhos sim, agora assumo! – e vou falar um pouquinho sobre isso.

Estava rolando a timeline do Facebook quando vi a Fernanda fazendo um convite pra pessoas que quisessem contribuir.

print convite fer

Como tudo começou

Na hora pensei em todas as mil coisas em que eu já estava envolvida, mas não resisti em participar de mais uma, já que condiz totalmente com minha perspectiva sobre o mundo, que é: precisamos espalhar coisas boas por aí.

(Falando um pouquinho sobre isso: tenho pensado em como a grande mídia e nós mesmos em nossas redes sociais temos o costume de reproduzir notícias ruins, gastar nosso tempo com críticas, assuntos pesados. Não que tenhamos que ignorar os problemas que de fato existem e são muitos, mas acho necessário valorizarmos as coisas boas, pra não correr o risco da gente acreditar que tudo é só desgraça e que o mundo não tem mais jeito, ou não vale a pena lutar por algo melhor.)

E o Projeto Faça Valer tem essa luz que precisamos! Fico honrada de apresentar pra vocês minha primeira contribuição com esse projeto: Recarregar as energias pra sentir-se bem. Como o título diz, é sobre recarregar as energias e a importância disso no nosso cotidiano, cliquem no link pra ler o post completo no site do projeto!

Espero que gostem e passem a acompanhar esse projetinho do bem :)

Beijos!

 

Anúncios

Oi, tudo bem?
Tire os olhos dessa foto cheia de maquiagem que está no meu perfil e olha um pouquinho para as minhas palavras, puxe um pouco a minha orelha, acho que estou perdida.
Será que você, assim como eu, sente um nó na garganta sempre que começa a ouvir os planos da um adolescente de 14 ou 15 anos? Você também chora quando lembra que não planejou nada e não faz ideia de como vai começar aquilo que, segundo a visão do mercado, já era para estar concluído ha pelo menos uns 06 anos?
Você vê seus amigos casando, comprando casa, pensando em enxoval, viagem de lua de mel, casamento, filhos, Brastemp e Tramontina e se acha muito nova para isso, mas ao mesmo tempo se acha muito velha quando te perguntam se você já tem formação? Que negócio é esse de formação? Será que é só esse pedaço de papel que me deram após quatro anos de ônibus lotado, 10 quilos a menos, 03 amigos de tantos que me juraram amor eterno naquelas fotos com roupa de gala e um espaço para marcar um (x) comprovando que agora tenho um “ensino superior completo”?
Três anos se passaram, das experiências que tive nenhuma serve como verdadeira experiência que me garanta um “futuro”. Gente, o que é futuro? É esse excesso de imediatismo que me tira o ar, leva meu sono e me vicia em florais? Nem sei ao menos se lembrei daquela aula do ensino médio que me ensinava a ser coerente e obedecer a coesão e outras coisinhas que toda redação tem que ter enquanto imploro pela sua atenção em uma rede social lotada de superficialidades da qual faço 100% parte.
Desaprendi a medir o tempo e acho que ter ~só~ ou ~já~ 24 anos faz de mim alguém que não sabe em que grupo se encaixa; dos que se pode ter orgulho porque não fez nada tenebroso demais ou dos que se pode nem lembrar o nome porque não ganha mais de 10 mil e tem sobrenome SILVA (descarta). Sou utópica, quase uma desesperada, que as vezes tem total certeza do que ama nessa vida e outras não faz ideia de como foi cair nesse negócio que mais parece um manual de instruções que todo mundo parece já ter achado uma maneira de utilizá-lo, menos eu, é claro. Será que para me descrever devo usar uma lista de pós graduações, mestrados, doutorados, prêmios de melhor qualquer coisa e viagens ao exterior ou devo deixar que me conheçam fazendo um intercâmbio dentro de mim? Acreditem, estou ficando claustrofóbica com vocês e essa pressão toda para ser ALGUÉM. Senta aqui pertinho, será que você realmente consegue me dizer quem é você? Estou aqui torcendo para que sim, mas não te culpo se você ainda não conseguir se desprender desse monte de rótulos diagramados bem antes de você ter um nome. Estou aqui só pra dizer que não quero que seu eu se perca nesse monte de obrigações e que você não está sozinho. Eu também não tenho planos, tenho sonhos.

Atenciosamente,
A moça por trás desse nome esquisito: Névelyn SILVA

nevelynparablog

Amizade e colaboração – palavras que combinam

Quando penso em amizade logo me vem uma imagem de pessoas alegres, sorrindo juntas. E se tem uma pessoa que relaciono diretamente com o ato de sorrir é minha amiga Névelyn. Talvez vocês se lembrem desse nome ~diferentão~ desse post aqui, onde apresento um texto incrível escrito por ela.

lih-e-neh

A questão é que ela vem escrevendo mais e mais textos incríveis no Facebook, e esses dias pensei que seria ótimo ter esse conteúdo maravilhoso aqui no blog. Fiz então o convite para que ela se tornasse uma colaboradora aqui, e ela aceitou!!!

Pedi também que ela fizesse uma breve apresentação de si mesma para que eu compartilhasse com vocês, então fiquem com a felicidade em forma de pessoa e aguardem os textos dela por aqui logo mais!

nevelynparablog

Olá, Meu nome é tão estranho quanto as escolhas que fiz na vida. Não sou formada em biologia mas entendo bem de borboletas, não das que voam, mas das que moram dentro da gente. Nunca planejei nada para o meu futuro, planos me parecem pastas do Excel e eu nunca gostei muito das exatas. Eu gosto mesmo é de sonhar e são os sonhos que definem os meus passos ao amanhecer. Sou jornalista, me formei em Comunicação Social em dezembro de 2013, mas atuo em departamentos ligados à imprensa desde 2010. Comecei como Menor Aprendiz no departamento de comunicação do Grupo Athia, em Presidente Prudente – SP, depois fiz estágio na Assessoria de Imprensa da Receita Federal – DRFPPE até a conclusão do meu curso acadêmico. Ao me formar, assumi o cargo de Assessora de Imprensa no Sindicato do Comércio Varejista – SINCOMERCIO/PP. Atualmente, além de trabalhar como Assessora da Companhia de teatro “Os Bárbaros”, através do ProAC – Programa de Ação Cultural do Governo do Estado de São Paulo, atuo como Atendimento Publicitário na PWR Criatividade Sonora e faço uma série de trabalhos voluntários. Muitas das minhas melhores experiências não estão descritas no currículo profissional, pois vivi apenas em minha cabeça. Espero que um dia eu consiga abraçar as crianças que não têm acesso à educação e fazer a diferença na vida de pelo menos uma delas. Por enquanto as miçangas não conseguem pagar minhas passagens, então eu vou de passo em passo, viajando entre as linhas.

Atualizações da vida

Oi gente, tudo bem?

Minha ausência por aqui tem motivo e como gosto muito de vocês achei válido dar uma explicada nas coisas que estão acontecendo na vida real e me afastando um pouco aqui da blogosfera.

No começo desse ano eu concluí meu mestrado e logo comecei a minha jornada como professora. No primeiro semestre peguei duas disciplinas no curso de Turismo de uma universidade particular da minha cidade e muitas coisas já começaram a mudar na minha rotina!

Junto com esse processo teve a mudança do apartamento pra casa, teve a Nikki que nos adotou, comecei a fazer atividade física com mais frequência, entrei num processo maior de imersão no meu ser através da terapia e mais recentemente do reiki (ai, preciso fazer um post pra contar mais detalhes dessa parte pra vocês!), enfim, a vida adulta chegou com tudo!

Nikki no pé e mandala na mão :)

Talvez alguns de vocês me entendam melhor e outros nem tanto, mas essa transição é complexa e envolve muitos fatores. Eu estou muito bem apesar de toda a agitação, e com certeza isso é reflexo do suporte de pessoas incríveis que tenho ao meu redor e que tenho encontrado no caminho nem um pouco por acaso.

Então é isso, muita correria na vida real (e mais ainda agora que além de duas disciplinas no Turismo também tenho mais uma no Design Gráfico e outra na Administração) e daí nem sempre consigo aparecer por aqui. Mas não esqueçam que meu carinho por vocês não mudou nadinha! (ah, e mandem notícias pelos comentários, pois não tenho conseguido acompanhar seus blogs também…).

Beijos!

Troca de Posts: Extraordinariando x Eis a Questão

Olá leitores queridos do ‘Eis a Questão’, me chamo Vera e fui a sortuda a ser sorteada para trocar posts com a Olivia!
Por isso, nesse post vou falar um pouco sobre o que eu apronto por aí!
extraordinariando
Comecei com meu blog, o extraordinariando.com, há cerca de 2 anos e pouquinho.
Desde sempre sou fissurada em escrita, gosto de ler na mesma medida, mas amo ter um espaço para dividir tudo o que mais gosto (e tudo o que menos gosto também) e falar de tudo o que passa por essa cabeça cheia de sonhos RISOS.
Começar com o blog pra mim foi muito difícil porque, mesmo bem comunicativa, achava a ideia de ter ‘alguém por aí’ lendo as coisas que eu escrevia, muito intimidante e, por ser sempre uma pessoa que ‘se cobra demais’, também tinha medo de não atingir minhas expectativas pessoais.
Uma outra preocupação com o blog sempre foi concilia-lo com as outras coisas que faço no meu dia-a-dia.
Tenho um trabalho com jornada de 8 horas diárias, estudo e AMO sair pra me divertir, embora valorize muito o tempo que tenho em casa também. Logo, sabia que seria um desafio manter o blog com posts constantes, e mais do que isso, posts interessantes.
Quando achei que havia vencido esse medo, veio um outro: e se ninguém acessasse meu blog?
E se eu me dedicasse e me aplicasse, mas não conseguisse ‘chegar’ em ninguém com meus textos?
E se eu não conseguisse mostrar, através dos meus textos, minha verdadeira personalidade? As coisas que acredito?
E é nesse momento que posso dizer que: a própria internet me mostrou que sempre há espaço! O mundo dos blogs, a comunidade dos grupos de pessoas que escrevem e se identificam é vasto, e tem sempre espaço pra mais um.
Foi graças a essa grande rede que eu, não apenas passei a me sentir mais segura quanto ao meu conteúdo, mas também passei a acreditar mais no meu propósito e a acompanhar pessoas do mundo todo, com suas próprias identificações e passei a me encantar com conteúdos que eu jamais conheceria e admiraria se não tivesse me incluído nessa ‘comunidade’.
Hoje sinto que sou grata por pensar em cada palavrinha que escrevo no blog. Sou grata por tentar melhorar a estética dele, o conteúdo, a frequência. Sou grata por me organizar para manter posts sempre novinhos e por ter tido coragem de criar um Instagram pra ele.
Porque no fundo, gratidão é algo compartilhado.
Sou grata por ter alguns leitores fieis, ter feito TANTOS amigos, ter recebido tanto amor e tantas dicas.
Tudo isso me mostra que o blog veio também para me tornar um ser humano melhor!
Gratidão sempre!
Beijos